Entendendo A Selic

A situação econômica neste momento passa por instabilidade, acompanhando os noticiários e jornais sobre o assunto, muitos perceberam o surgimento e a preocupação que uma sigla está causando.

Porém é que ainda há muitas pessoas que desconhecem como ela é significativa, não só no nosso cenário econômico, como também em no nosso bolso.

Neste post você vai poder entender um pouco do que é a taxa Selic, responder um pouco de suas dúvidas e como está sigla pode interferir na vida dos brasileiros.

  • O que é a taxa SELIC?

É a taxa apurada pelo Sistema Especial de liquidação e de Custodia, que ao final fica conhecida como taxa Selic. É decida pelo COPOM, comitê de política monetária nacional em reuniões periódicas.

A taxa é a usada para o controle da inflação, instrumento utilizado pelo BC (Banco Central), ela é também como um indicador para outras taxas de juros, como o do cheque especial, cartão de credito e poupança. Ela é os juros que o governo paga para empréstimos pelos os bancos.

  • A taxa é uma referência.

A Selic interfere em todas as taxas, para uma visão ampla a taxa em curto prazo pode repercutir no ritmo do governo. Por isso o governo está adotando uma medida preventiva, com uma política monetária para conter a inflação.

Com isso se a taxa for maior que as taxas de longo prazo, será possível reduzir a inflação. Ocasionado uma queda dessas taxas ao longo prazo para tentar estabilizar a economia.

  • Por que ela influência as outras taxas?

Influência por que as taxas de juros de longo prazo são negociadas por conta da expectativa dos agentes financeiros a sua evolução, por meio do mercado de derivados e principalmente do mercado de DI Futuro da BM&FBovespa.

As reuniões do COPOM não alteram as taxas de juro de longo prazo. Relatórios dos dados do banco central, dados econômicos influenciam todo instante.

Devido a isso se estipula uma meta para taxa Selic, que serve como parâmetro de calculo e expectativas do mercado.

  • Como afeta a vida do consumidor?

Depende do seu perfil econômico, podendo interferir diretamente ou indiretamente. De maneira direta aqueles que investem em fundo do DI, por que parte desses fundos segue a rentabilidade da taxa.

De maneira indireta a Selic pode interferir a médio ou longo. O problema é que para o consumidor, esses juros chegam a um valor maior do que a taxa fica para os bancos.

Isso tudo por que eles ainda incluem seus lucros na soma antes de repassar as taxas aos consumidores. No cheque especial, que pode chegar até 120%, cartão de credito e poupança é alguns dos exemplos onde está taxa podem influenciar no percentual final.

  • O temido juro alto

O aumento desta taxa básica (Selic), como já foi analisado, tem um grande fator de influência nos juros.

Juros altos afetam o consumo, que como consequência prejudica nas vendas, que são refletidas nas empresas. O que acarreta o corte nos gastos, que diminuição dos empregados, finalizando em uma queda na economia, nosso cenário atual.

Além de outros problemas como cortes de investidores estrangeiros pelo aumento dos juros.

Com os juros baixos é possível maiores créditos, que fazem a economia se estabilizar. É por meio do corte de taxas, muito solicitado por empresários, para ser a alternativa de viabilizar investimentos em um momento de economia em baixa.

  • Existe algum investimento onde rende Selic?

Pelo tesouro direto é possível comprar títulos com do governo que acompanham a taxa. E títulos públicos que possui um rendimento próximo.

  • Dica

Depois desta breve explicação será mais fácil acompanhar o desenvolvimento da taxa Selic e como ela influência a economia do Brasil, principalmente em esse momento de crise.

Com uma melhor compreensão, de conhecer como ela é calculada e principalmente como ela intere em nosso dia a dia.

Muito melhor acompanhar o que se fala sobre essa famosa sigla os seus avanços dentre outros assuntos relacionados a ela com o nosso blog. Fica como dica!

E não deixe de curtir e compartilhar nas redes sociais nossas noticias.

Até a próxima.

Comentários